quarta-feira, 20 de abril de 2016

Giro pela Inglaterra: Reading Town

6 comentários
Pulei um monte de postagem (Verona, Veneza, Guildford, Londres e uma série de pontos turísticos) para postar sobre essa cidadezinha que fui hoje.

Reading entrou no roteiro por puro acaso, substituindo Bath, que era muito cara e abria os banhos só por uma entrada de 40£. Daí sem banho não tinha tanta graça em conhecer o lugar, né? Para quem não sabe, Bath é um lugar muuuito referenciado nos romances de Jane Austen, geralmente como ponto de conversão da alta sociedade da época.


 Chegamos na região de trem, parando em uma estação já bem próxima do centro da cidade, ufa!
Antes de sair do lugar onde estou hospedada, imprimi um mapa turístico do lugar, tracei a escala e marquei os pontos turísticos que mais queria visitar, e por onde passar para chegar nesses lugares.

Reading Museum

O lugar funcionava juntamente da Town Hall, e era imeeenso! Esse foi um dos museus mais legais que já visitei na vida, não pela variedade de exposições, mas pelo cuidado que tiveram em criar um museu completamente interativo e adaptado para crianças! Todo o lugar é acompanhado por uma área de atividades lúdicas, jogos, cadernos de atividades, exposições adaptadas para o tamanho diminuto delas, lugares que podem ser tocados ou subidos etc. E o melhor: os adultos (eu) podem também participar desse tipo de atividade! Não sei de onde tiram de que exposição de adulto tem que ser chata e paradona.

Enfim, no primeiro andar havia uma exposição sobre a vida na região de Reading desde a chegada dos primeiros Vikings até meados de 1950. Vou postar algumas fotos que tirei e colocar na legenda uma breve explicação, quando houver:


Nesse painel eles mostravam como era a divisão do trabalho dentro do negócio de lã. Geralmente um senhor era responsável pelas terras e o pagamento de todo o processo de produção, mas fazia apenas o papel de fiscalização e recebimento das contas. Temos os 7 postos, na ordem:
  1. O responsável pela rosa das ovelhas
  2. A responsável pelo penteado e desembaraço da lã
  3. A responsável pela fiação da lã
  4. O responsável pelo tear e trançado da lã
  5. O responsável pelo preparo do fio e transformação dele em tecido (prensa com martelo)
  6. O responsável pela tintura do tecido
  7. O responsável pela venda final e recolhimento do dinheiro para seu senhor

Na esquerda, um caixão de passarinho e, na direita, uma coleira de cachorro.




Os monges cantavam 7 vezes ao dia, inicialmente sozinhos e só depois (séculos) acompanhados por um órgão.
Uma espada saxã de meados dos anos 1100

Esse pôster gigante e não legível falava como os monges retiravam e guardavam sua água de modo a evitar a contaminação pela peste que assolou a Inglaterra. Enquanto a população tinha fossas particulares no fundo das casas que costumavam cruzar com os rios, os monges tinham seus depósitos bem construídos no alto, evitando boa parte das doenças da época.  Depois do ano de 1300 essas fossas deixaram de ser usadas para acumular água e passaram a guardar restos e lixo da época.

Pedaços de armadura usada pelo pessoal que viveu na região

ÁREA DA TAPEÇARIA

A área da tapeçaria de Bayeux  trazia uma reprodução de 70 metros da tapeçaria original do ano de 1066 e conta, em três partes, sobre a invasão de William da Normandia na Inglaterra. Começa com os eventos que levaram a essas batalhas e com o combate de Hastings e a morte do rei Harold da Inglaterra. 

Claro que a peça é enviesada para o lado dos Normandos (que fizeram a peça - 35 mulheres, ao todo), que justifica a invasão e aclama seus heróis, e justifica todo o ato a partir da sugestão de que Harold havia traído William e uma antiga promessa feita. 

Pedaço mostrando como era feito o bordado em lã

 A invasão romana

A terceira ala do museu trazia dados sobre a vida dos romanos que invadiram a Inglaterra, explicando sobre costumes, modo de viver e como se organizava a sociedade da época, de modo geral. Como já disse, praticamente tudo do museu é interativo, então as roupas podiam ser vestidas, as casinhas podiam ser visitadas e as paredes e ladrinhos montadas e escritas com a legenda de letras romanas.

 Aqui nós tínhamos sobre o modo de vida dos ferreiros da época. Eles trabalhavam, majoritariamente, com ferro e bronze, dividindo-se em 4 especialidades:
  • Fazedores de Rodas
  • Chaveiros
  • Reparadores de ferramentas do campo
  • Fazedores de carruagens
Os ferreiros dessa época, em Calleva, trabalhavam o metal em fornos de carvão, e as limalhas de seu trabalho foram encontradas aaaanos depois por toda a região da cidade.

Área comum de trabalho do ferreiro
Mais uma parte interativa. Na direita havia um quadro branco com caneta para você testar o seu nome!

Havia um painel dedicado aos jogos Romanos mais populares. Diz-se que jogos e apostas eram parte do dia a dia de qualquer bom cidadão, e eram jogados em peças de pedra, madeira, vidro e ossos durante os banhos, em casa e em áreas ao livre destinadas a essa prática.

Apesar de vários campos e peças terem sido encontrados, não existem tantos registros sobre as regras desses jogos. O que se sabe hoje em dia é que os mais populares modos de jogar eram o "Twelve Lines", uma espécie de gamão, o "Soldiers", um jogo de combate com 15 peças e o "Nine Mens' Morris", ou "Trilha" e "Jogo da Velha" em português, que é o assinalado maior na imagem e tinha um campo grandinho para jogarmos no museu. Quem jogou Assassins' Creed IV certamente deve lembrar desse jogo nos portos!


Os banhos, ao contrário do que costumam acreditar, era uma parte importante também das interações sociais. Eles eram construídos (tinha essa construção toda montadinha lá no museu, e dava pra andar e sentar lá dentro para ver como funcionava!) em cima de sistemas abertos sob o chão que tinham o nome de hypocausts, em que fornos eram acesos permitindo a circulação subterrânea do calor. Alguns usavam o sistema de colunas, enquanto outros preferiam o sistema de canais para o ar quente. Muitas casas aproveitavam esse sistema para fazer correr dentro das paredes o calor, mantendo, assim, o ambiente todo bem aquecido (e pelo frio que faz aqui, isso faz muito sentido!).


As roupas romanas deviam ser tanto elegantes quanto confortáveis. A peça principal era a Tunica, que servia tanto para homens quanto para mulheres (falando sobre moda realmente unissex!) e podia ser vestida tanto solta quanto amarrada na cintura. Durante o frio homens costumavam usar várias túnicas em cima da outra, e o Birrus Britaniccus, uma capa de lã com capuz para proteger.

Já as mulheres usavam uma espécie de túnica chamada Stolla, presa aos ombros por broches e suspensas na cintura até a altura das canelas. No frio usava-se uma espécie de casaco ou manta chamada palla, que cobria a cabeça. Ambos (homens e mulheres) usavam sadálias ou sapatos de couro.


As casas eram construídas, em sua maioria, em sílex, e tinham apenas um andar (claro que existem exceções no meio do caminho e da história), com o teto feito tanto de pedra quanto de tábuas de madeira colocadas lado a lado. As casas mais simples eram formadas por blocos quadrados contínuos interligados, e iam crescendo e mudando a forma de acordo com o passar dos anos e o aumento da família. Do lado de fora, pintava-se as paredes com as cores de amarelo, vermelho e branco (em sua maioria) com formas geométricas como na imagem da direita acima. Os pisos eram em mosaicos formados por pequeniníssimas pedras coloridas e podíamos montar nosso próprio design no museu com as pecinhas disponibilizadas sobre uma superfície imantada.


As cozinhas eram parte fundamental de toda casa romana (óbvio.) Apesar de pequenos, os cômodos eram bem equipados com um forno (como o da foto da direita) e raladores de pedra, além de debulhadores e moedores de milho e mesas para tratar a comida. Não era raro, porém, encontrar frutas importadas nessas cozinhas, como figos, por exemplo.

Animais da Inglaterra


Havia no museu uma outra área com animais reproduzidos em tamanho real, para mostrar diferenças de escala, pelagem e adaptação ao meio ambiente. O mais interessante é que todos, tirando esses do vidro que está na foto, podiam ser tocados. Haviam placas indicando "Qual a textura do pelo desse bichinho? Por que você acha que ele é assim? Observe o coelho e pense sobre as diferenças de habitat" etc.

Acabei não tirando muitas fotos dessa área, mas ela era toda coberta com mesinhas para as crianças sentarem, desenharem e colorirem os animais expostos. Os desenhos eram todos pendurados em varais próximos da janela.

Fiquei tão satisfeita com a visita ao museu que passei na lojinha deles para comprar alguns souvenirs. Tinha umas coisas bem legais, como réguas com a hereditariedade da família real inglesa desde sempre, miniaturas de soldados em metal e doces típicos da região.

O mapa impresso à esquerda e o papel de atividades à direita
 Demorei um tempo até me decidir, mas fiquei com um alcaçuz (essa bengala - R$4.00 - que sempre vi nos desenhos de especial de Natal! haha) e um par de alianças medievais <3 Sempre procurei por dessas por aí, e nem acreditei quando encontrei essas, de ferro torcido! CLARO que comprei um parzinho logo que as vi!

Exposição do Biscoito Maria

A última ala do museu era sobre uma empresa de biscoitos, e haviam desde as latinhas mais bonitas de biscoito até sobras de biscoitos que eram usados como ração em época de guerra (até um tostadinho estava exposto ali).


Propagandas do biscoito


Esse biscoito Maria foi encontrado intacto durante a Segunda Guerra Mundial
Brinquedo para você montar seu próprio biscoito
Biscoitos de verdade bem conservados e expostos.

Museu da vida Rural

Esse era o museu que eu mais queria ver em Reading. Ele mostrava toda a vida no campo trazendo ferramentas, modos de vida, exemplos de roupas e hábitos dos camponeses. Mas, infelizmente, o museu está fechado até outubro para reforma :(

Daí tirei foto só de umas vitrines que tinham na parte de baixo, e nem comprei nada da loja.

Chamando a população para trabalhar no campo

Board Game famoso no campo na época da Guerra. Muitos eram usados para incentivar a mudança para o campo.

Visita à Toys R' Us


Yess! Toys R Us!! Para quem não sabe, essa é uma das franquias de lojas de brinquedo mais legais do universo! Antigamente era aqui que você achava discos de duelo para comprar, mas como não tinha no Brasil, nem enviavam, eu ficava só chupando o dedo :( Mas agora pude ver de pertinho todos os milhares de brinquedos em preços marafilhosos para o mercado tradicional <3

Infelizmente não levei nada. Convertendo eu sempre achava tudo um absurdo, apesar de ser bem mais barato que boa parte das lojas em que passei haha


Que tanto de coisa de Zootopia que tinha! Queria tudo ;3;



QUERIA DEMAIS MEU DEUS!! 

R$50.00 a família, enquanto no BR é R$160.00!! AFF

Walnut Street e Memorial Oscar Wilde


Essa era uma ruazinha maravilhosa coberta por castanheiras e homenagens a Oscar Wilde em todos os lugares: nas grades, bancos, pedras etc. Acabei esquecendo de fotografar aqui, tão encabulada que estava com as árvores e paisagem geral.

Parques e monumentos da cidade

Agora uma série de fotos da cidade, sem localidade específica. Achei legal ver as pessoas fazendo pique nique no parque, sentadas de boassa no meio da tarde (estavam matando aula? uhauha).








E é isso! Amanhã volto a contar e postar sobre a Itália haha!

6 comentários :

  1. Omg, que lindo museu! Muito legal ele ser interativo. Adorei a parte dos biscoitos!
    E a Toys R Us! Essa loja deixa qualquer um doido querendo comprar tudo! hahahaha
    Continue postando mais coisas da sua viagem! To muito curiosa para saber mais dos outros lugares que vc foi! :D

    http://camis-house.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até agora esse foi o melhor museu que vi aqui, serião! Hahahaha
      Pode deixar que vou continuar postando <3

      Excluir
  2. Aí ToysRUs que saudade. Tô adorando os relatos Laz. Queria ter feito isso quando viajei, mas acabou ficando mais nas fotos mesmo. Mas continua que futuramente tbm darei meu giro pela Europa :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, quero demais a loja de brinquedos! huahuauha
      E obrigada, Mel! Esse tipo de relato eu sempre faço nos meus diários, mas dessa vez achei que seria divertido postar no blog tbm uhauha pelo menos aqui fica mais organizado!

      Excluir
  3. Waaaa que maravilhoso ( ̄▽ ̄)( ̄▽ ̄)
    Vc ficou uma monarca diva nessa foto, e esses biscoitos, eu iria ficar maluca |( ̄3 ̄)|
    Essa loja de brinquedo realmente é muito legal <3
    Diariodelolivlet.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahaha! O de biscoitos era bem legal, nunca tinha visto uma exposição com esse tema antes huauhauha (em BH já teve a cidade comestível de biscoitos, mas só.)

      Queria morar na loja de brinquedoossss ;3;

      Excluir